O DIRETÓRIO INDUSTRIAL
Contate diretamente com as empresas

Sunnyvale fornece soluções de inspeção e controle para exportação de carne suína brasileira para o Japão

  • 11/07/2013, São Paulo (SP)

  • Japão abre portas para a carne suína brasileira. A Sunnyvale é uma das principais fornecedoras de soluções para inspeção e controle de qualidade e já está preparada para esta demanda que impactará a cadeia de fornecedores deste mercado.

 

Com a possibilidade de exportação para o Japão, frigoríficos precisarão atender obrigatoriedades, como inspeção e controle de qualidade do produto, seja com Raio X ou detectores de metais.

Os frigoríficos que trabalham com carne suína poderão abrir mercado com a liberação das exportações de seus produtos para o Japão. A notícia veiculada ainda no final do mês de maio coloca as empresas brasileiras em alerta para se adequar a algumas exigências para entrar em solo japonês. De bate-pronto, terão de investir, por exemplo, em inspeção e controle de qualidade do produto de acordo com as regras de comercialização determinadas.

Para se adequar aos requisitos de inspeção e controle de qualidade será preciso ter equipamentos de Raio X ou detectores de metais para identificação de possíveis contaminantes. Algumas empresas brasileiras já se anteciparam, esperando este acordo de exportação. "Temos projetos em andamento em grandes frigoríficos para a instalação de Raio X, e temos como entender as demandas de cada empresa, oferecendo a solução que mais se encaixa no plano de investimento emergencial", explica Daniel Sprindys, gerente de vendas da divisão de inspeção e controle de qualidade da Sunnyvale.

Novo panorama - A liberação das exportações para o Japão abre novos panoramas para os produtores nacionais e empresas ligadas ao setor. Desde o início do ano, a Ucrânia vetou as exportações de carne suína brasileira, o que gerou impacto negativo já que era um dos países de maior consumo do produto nacional.

A Sunnyvale é uma das principais fornecedoras de soluções para inspeção e controle de qualidade e já está preparada para esta demanda que impactará a cadeia de fornecedores deste mercado. Ela representa os equipamentos de Raio X da Anritsu no Brasil e tem linha própria de detectores de metais fabricados pela companhia alemã S+S.