Esse site utiliza cookies próprios e de terceiros para melhorar a experiência e os serviços. Se você continuar navegando, significa que aceita seu uso. Para mais informações, acesse nossa Política de Cookies

Fabricante de serras, ferramentas e instrumentos de medição, a Starrett investirá mais de R$ 50 milhões na fábrica que mantém em Itu (SP). Os novos recursos irão permitir que a filial brasileira concentre a produção de algumas linhas de produtos, que serão exportadas à matriz e demais filiais do grupo e também no aumento da produção para suprir a demanda do mercado brasileiro e latino-americano que, segunda a empresa, voltará a crescer nos próximos anos.

A operação faz parte da estratégia mundial da Starrett que, para tornar a marca ainda mais competitiva globalmente, optou em investir no Brasil, tornando a fábrica no País a responsável por fornecer diretamente toda a linha de aços bi-metais e algumas linhas de serras da marca para Centros de Distribuição espalhados pelo mundo e para outras plantas da L. S. Starrett Co. Com isso, a planta brasileira será umas das mais importantes da companhia, cuja matriz está nos EUA.
"A Starrett do Brasil foi a responsável pelo desenvolvimento do aço Bi-metal Unique, matéria-prima que compõe as serras da nossa marca. Essa também foi uma das razões que levou a empresa a optar por esta estratégia", afirma o presidente da Starrett Brasil, Salvador de Camargo Junior.

Com a nova estratégia da companhia, toda a inteligência e produção do Bi-Metal ficará no Brasil. "Estamos aumentado nossa área industrial e nossa mão de obra", informa Camargo. A Starrett prevê aumentar em 10% o número de colaboradores no Brasil em razão desta movimentação.

As serras da Starrett são produzidas com o aço Bi-Metal Unique desde 2006. De acordo com a empresa, esse material - composto de aço liga e aço rápido - é o bi-metal mais resistente do mercado. A tecnologia, desenvolvida pela própria empresa, representou a principal evolução nos sistemas de corte dos últimos 40 anos e é sinônimo de tecnologia de ponta na produção de matéria-prima para a fabricação de serras. Atualmente, a Starrett do Brasil responde por cerca de 25% do faturamento do grupo. Segundo a empresa, a marca detém em média mais de 30% de marketshare do mercado de serras no País.