O DIRETÓRIO INDUSTRIAL
Contate diretamente com as empresas

Sensor de fluxo para líquidos e gases (flow sensor) (Icos)

  • Diferencia-se dos fluxostatos comumente encontrados no mercado por trabalhar com pistão magnético.

Informação detalhada do produto Sensor de fluxo para líquidos e gases (flow sensor)

Esse instrumento utiliza a força exercida por um fluxo de fluido para deslocar um pistão magnético, este transmite um sinal a um sensor reed situado na parte externa à passagem do fluxo.

Não existe palheta, haste ou pivot, como  os utilizados no sistema convencional dos fluxostatos, que possam emperrar ou romper-se com contra-fluxos, golpes de ariete ou turbulências.

Como funcionam

O pistão magnético encontrado nos sensores de fluxo da Icos Excelec é projetado para oferecer uma resistência mínima a passagem dos fluidos. Fixado por  uma mola, é capaz de se deslocar com pequenos fluxos, pois qualquer passagem de fluido toca o topo inferior do pistão, fazendo com que este se desloque. O campo magnético do pistão atravessa a parede do corpo do sensor e atua um contato elétrico. O deslocamento do pistão é geometricamente proporcional ao volume de fluxo, assim é possível mover o sensor externo através de um ajuste preciso e determinar um ponto de atuação. Dessa forma, os sensores não necessitam que o fluxo retorne a "zero" para sinalizar um alarme. A razão desse deslocamento depende das características do fluido, isto é: quanto mais viscoso o líquido, menos volume é necessário para o deslocamento do pistão. Por exemplo: num determinado ajuste onde a sensibilidade é de 100ml/min para água, esta sensibilidade aumenta para 4ml/min em óleo 68cSt @ 40°C.

Sinal de saída

O sinal de saída é um contato N.A. que, sem fluxo ou com o fluxo abaixo do limite pré-determinado, estará aberto. Quando o fluxo ultrapassar esse limite o contato se fechará. Existe uma banda morta entre o liga e desliga (histerese), isso porque a força requerida para mover o pistão e atuar o sensor deve ser removida. Por exemplo: se em um ajuste o ponto de atuação (On) é de 25l/min, o ponto de desatuação (Off) é de 20l/min. Esses valores são especificados nas tabelas de sensibilidade de cada pistão.

Aplicações

Lubrificação:

Habitualmente são utilizados pressostatos para sinalizar sistemas de lubrificação, isto é, se a linha estiver pressurizada, o pressostato indica a presença de pressão e considera que existe fluxo, mas se houver um entupimento ou alguma obstrução por tubulação amassada ou válvula travada, o pressostato indicará a pressão, mas no entanto, o óleo não chegará ao seu destino final. Pode-se ter pressão, mas não fluxo. Mesmo os distribuidores de óleo na lubrificação centralizada com sinalização não garantem que o óleo chegou ao seu destino final, pois a sinalização acontece com o movimento de cada pistão no distribuidor e não no ponto de lubrificação. O sensor de fluxo é um detector dinâmico, qualquer entupimento pode aumentar a pressão, mas reduzirá o fluxo, que será detectado, pois se a pressão de entrada for igual à pressão de saída, o pistão retornará a zero.

Refrigeração:

Na refrigeração o sensor de fluxo sinaliza a falta ou diminuição do líquido refrigerante, para a proteção do equipamento a ser refrigerado.

Automação de bombas:

Utilizado para o acionamento automático de bombas quando se detecta um fluxo mínimo, ou para a proteção da bomba quando houver falta de fluxo. 

Modelo
FE18B02
FE18B04
FA14B02
FA14B04
FA14B06
FF12B02
FC34B02
FC10B02
FC10B04
FJ112B02
FG20B02
Outros produtos desta empresa

.P-CTU-4293293130